Em Rápido e Devagar: Duas Formas de Pensar, Daniel Kahneman, ganhador do prêmio Nobel de Economia, explora as diferentes formas de pensar do ser humano, uma rápida, porém intuitiva e emocional, e outra devagar, mais analítica e lógica.

Kahneman discorre sobre a nossa capacidade de pensar e expõe também os defeitos e vieses dos nossos pensamentos. A intuição ajuda ou atrapalha nossas decisões?

No decorrer do livro, Kahneman discute sobre a aversão à perda do ser humano e suas reações à ela. As conclusões podem e muito ajudar o investidor a entender como o pensamento funciona, seus vieses de forma a saber reagir melhor futuramente, de forma contra intuitiva.

Um livro que vale muito a leitura. Compartilho abaixo os destaques que fui fazendo no Kindle enquanto eu lia o livro.

A questão que o executivo enfrentava ( devo investir em ações da Ford ? ) era difícil , mas a resposta a uma questão mais fácil e relacionada ( gosto de carros da Ford ? ) veio prontamente à sua mente e determinou sua escolha . Isso é a essência das heurísticas intuitivas : quando confrontados com uma questão difícil , muitas vezes respondemos a uma mais fácil em lugar dela , normalmente sem perceber a substituição .

introdução

Na verdade , você muitas vezes vai descobrir que saber pouco torna mais fácil ajustar tudo que você sabe em um padrão coerente .

Dois sistemas

Somos ávidos por padrões , temos fé em um mundo coerente , em que as regularidades ( tal como a sequência de seis meninas ) não aparece por acidente , mas como resultado de uma causalidade mecânica ou da intenção de alguém .

Heurísticas e vieses

“ Para o olho não treinado ” , observa Feller , “ a aleatoriedade se apresenta como regularidade ou tendência de agrupamento ”

Heurísticas e vieses

Por que especialistas são inferiores aos algoritmos ? Um dos motivos , assim suspeitou Meehl , é que os especialistas tentam ser inteligentes , pensar fora da caixa e consideram combinações complexas de características ao fazer suas previsões .

Confiança excessiva

Há poucas circunstâncias sob as quais é boa ideia substituir uma fórmula pelo julgamento .

Confiança excessiva

Outro motivo para a inferioridade do julgamento dos especialistas é que humanos são incorrigivelmente inconsistentes em fazer julgamentos sumários de informação complexa .

Confiança excessiva

Quando a previsibilidade é fraca — o que é o caso na maioria dos estudos revistos — , a inconsistência é destrutiva para qualquer validade prognosticadora .

Confiança excessiva

Um ambiente que seja suficientemente regular para ser previsível • uma oportunidade de aprender essas regularidades mediante a prática prolongada Quando essas duas condições estão satisfeitas , é provável que as intuições sejam proficientes .Quando a previsibilidade é fraca — o que é o caso na maioria dos estudos revistos — , a inconsistência é destrutiva para qualquer validade prognosticadora .

Confiança excessiva

Consultores de investimento e cientistas políticos que fazem prognósticos de longo prazo operam em um ambiente de validade zero. Seus fracassos refletem a imprevisibilidade básica dos eventos que eles tentam prognosticar .

Confiança excessiva

Alegações de intuições corretas numa situação imprevisível são na melhor das hipóteses uma auto ilusão , quando não coisa pior.

Confiança excessiva

Lembre – se desta regra : não se pode confiar na intuição na ausência de regularidades estáveis no ambiente .

Confiança excessiva

Um dos benefícios de um temperamento otimista é que encoraja a persistência diante dos obstáculos . Mas persistência pode ser algo custoso.

Confiança excessiva

A avaliação inadequada sobre a incerteza do meio inevitavelmente leva os agentes econômicos a assumir riscos que deveriam evitar.

Confiança excessiva

As pessoas e empresas antes recompensam gente que fornece informação perigosamente enganosa do que gente que fala a verdade .

Confiança excessiva

A supressão da dúvida contribui para a super confiança em um grupo onde apenas os partidários da decisão têm voz .

Confiança excessiva

A resposta a uma perda é mais forte do que a resposta a um ganho correspondente .

escolhas

O cérebro de humanos e outros animais contém um mecanismo que é projetado para dar prioridade a notícias ruins .

escolhas

O negativo supera o positivo de muitas formas , e a aversão à perda é uma das inúmeras manifestações de uma ampla dominância da negatividade.

escolhas

Outras assimetrias no domínio social são ainda mais surpreendentes . Todo mundo sabe que uma amizade que levou anos para se desenvolver pode ser arruinada com um único gesto.

escolhas

A aversão à perda refere – se à força relativa de duas motivações : somos impelidos mais fortemente a evitar perdas do que a obter ganhos.

escolhas

A aversão ao fracasso de não atingir a meta é muito mais forte do que o desejo de superá – la .

escolhas

Os planos para reforma quase sempre produzem muitos vencedores e alguns perdedores , conforme atingem uma melhoria global. Se as partes afetadas têm alguma influência política , porém , perdedores potenciais serão mais ativos e determinados do que vencedores potenciais ; o resultado tenderá em favor deles e inevitavelmente será mais dispendioso e menos eficaz do que inicialmente planejado .

escolhas

Aversão à perda é uma poderosa força conservadora que favorece mudanças mínimas do status quo nas vidas tanto das instituições como dos indivíduos . Esse conservadorismo ajuda a nos manter estáveis no bairro onde moramos , em nosso casamento e nosso emprego ; é a força gravitacional que mantém nossa vida coesa junto ao ponto de referência .

escolhas

O grande impacto de 0 — › 5 % ilustra o efeito de possibilidade ( possibility effect ) , o que faz com que resultados altamente improváveis sejam pesados desproporcionalmente mais do que “ merecem ”. A melhoria de 95 % a 100 % é outra mudança qualitativa que exerce um grande impacto , o efeito de certeza ( certainty effect ) . Resultados que são quase certos recebem menos peso do que a probabilidade deles justifica .

escolhas

Devido ao efeito de possibilidade , tendemos a exagerar o peso de pequenos riscos e ficamos predispostos a pagar um valor muito maior do que o esperado para eliminá – los completamente .

escolhas

O peso excessivo dado a probabilidades pequenas aumenta a atratividade tanto de apostas como de apólices de seguro .

escolhas

Os pesos de decisão que as pessoas atribuem a resultados não são idênticos às probabilidades desses resultados , contrariamente ao princípio de expectativa .

escolhas

Quando o prêmio máximo é muito grande , os compradores de bilhetes parecem indiferentes ao fato de que sua chance de ganhar é minúscula .

escolhas

As pessoas estão dispostas a pagar muito mais por segurança do que por valor esperado.

escolhas

As pessoas compram mais do que proteção contra um desastre improvável ; elas eliminam uma preocupação e adquirem paz de espírito.

escolhas

Quando você adota a visão a longo prazo de muitas decisões semelhantes , pode perceber que pagar um prêmio para evitar um pequeno risco de uma grande perda é custoso .

escolhas

As pessoas esperam ter reações emocionais mais fortes ( incluindo arrependimento ) diante de um resultado que é gerado por ação do que diante do mesmo resultado quando é gerado por inação.

escolhas

A assimetria no risco de arrependimento favorece escolhas convencionais e avessas ao risco.

escolhas

Jeremy Bentham abriu sua Introdução aos princípios da moral e da legislação com a famosa sentença : “ A natureza pôs a espécie humana sob o domínio de dois mestres soberanos , a dor e o prazer . Cabe a eles exclusivamente indicar o que devemos fazer , bem como determinar o que faremos .”

dois eus

O eu experiencial não tem uma voz . O eu recordativo às vezes está errado , mas é ele que fica de olho no placar e governa o que aprendemos com a vida , e é ele quem toma as decisões .

dois eus

As metas da adolescência influenciam o que acontece com as pessoas , aonde vão chegar e até que ponto estão satisfeitas .

dois eus

Deixe uma resposta