A XP anunciou ontem (11/09/2020) que vai zerar a corretagem da Rico e reduzir a corretagem da XP em até 75%. Fonte: Brazil Journal

Eis a justificativa da corretora para tal movimento:

O CEO da Rico, Laio Santos, disse que o movimento é uma resposta à inquietação crescente dos clientes em relação a preço. Ao reduzir a fricção que o custo da corretagem representa, a corretora espera no longo prazo mais do que compensar a perda de receita na medida em que os clientes compram mais produtos — como fundos de investimentos — e deixam mais dinheiro na corretora.

Isso deve ajudar na atração de novos clientes e na fidelização da base, aumentando o nosso lifetime value,” disse Laio.

Como acionista da XP, a primeira coisa que me perguntei foi: qual será o impacto na receita do grupo?

Para ter uma ideia do que poderia acontecer, fui verificar como ações de corretoras americanas reagiram no movimento recente, iniciado ano passado. Fiz uma pequena análise da Charles Schwab (inspiração da XP) e da TD Ameritrade.

Fonte: Tradingview

As ações da Charles Schwab fecharam o pregão de 30/09/2019, um dia antes do anúncio da zeragem de comissões para ações e ETFs à partir de 7/10/2019, cotadas a US$ 41,07. O mercado não reagiu bem ao anúncio. Dia 08/10/2019 as ações fecharam cotadas a US$ 34,59, uma queda de 16%.

Entretanto, apenas 30 dias foram necessários para a ação recuperar do tombo.

O mês do anúncio da Charles Schwab foi marcado por 142.000 novos clientes na plataforma americana, +31% se comparado com o mês anterior e +7% se comparado com o mesmo período de 2018. (Fonte: CNBC)

Isso vai ao encontro do que disse o CEO da Rico ao Brazil Journal.

As ações TD Ameritrade, reagiram ainda pior:

Fonte: Tradingview

Do fechamento de 30/09/2019 ao seu menor fechamento dia 03/10/2019, as ações registraram queda de 30%. A TD Ameritrade também demorou um pouco mais para se recuperar, 21 dias a mais do que a Charles Schwab para ser mais exato.

No fim das contas, como isso impactou a receita?

Para responder essa pergunta eu tentei verificar a receita total anual da Charles Schawb e TD Ameritrade.

Comparando as receitas anuais, podemos ver que de forma geral o impacto ainda não foi sentido em 2019, uma vez que a zeragem da corretagem apenas ocorreu em meados de outubro.

Fonte de dados: Yahoo Finance

Entretanto, já é possível perceber uma diminuição da receita trimestral na Charles Schwab, enquanto a TD Ameritrade teve um declínio mais acentuado para depois se recuperar.

Fonte de dados: Yahoo Finance

Comparando apenas as duas corretoras, ainda não é possível estimar como a redução de corretagem impactará as receitas da XP.

Verificando o resultado do último trimestre da XP também é complicado estimar qual será o impacto desta iniciativa no resultado do grupo.

É possível perceber que 72% da receita do grupo XP vem do varejo, que é o foco dessa redução/ zeragem da corretagem.

A companhia reportou no 2T20 que brokerage comission respondeu por R$ 543 milhões em sua receita, ou seja 51% da receita é proveniente deste serviço. Entretanto, essa linha envolve comissões advindas não apenas de corretagem. Outro ponto a perceber é que o grupo XP não divulga o resultado segregando as três corretoras do conglomerado (XP, Rico e Clear). A Clear já tem corretagem zero há um bom tempo, enquanto a Rico passará a ter corretagem zero e a XP uma redução de 75%.

Como não é divulgado, ou ao menos eu não encontrei, fica difícil prever qual será o impacto em receita.

Quais os impactos de curto-prazo?

Em relação ao impacto no preço das ações do grupo XP, é impossível prever o que vai acontecer, mas se reagir como reagiu seus pares americanos quando medidas como essa foram anunciadas por lá, uma queda expressiva pode ser esperada. Porém, continuando a seguir o comportamento, poderia ser uma belíssima oportunidade de entrada, claro, se tudo acontecer como aconteceu lá.

Há uma possibilidade de que as ações da XP não sejam impactadas sozinhas. Como aconteceu com a TD Ameritrade, é provável que as ações do BTG Pactual sigam o comportamento da sua concorrente. Inclusive, é provável que vejamos um anúncio do BTG muito em breve, anunciando a zeragem da corretagem em suas plataformas.

Como as corretoras ganham dinheiro sem corretagem?

“If there are no costs for a product you use, then you are no longer the customer—you just became the product.”

Peter Lazaroff, co-chief investment officer at Plancorp LLC

É importante saber que apenas uma parte da receita das corretoras é vinda da corretagem. Comparando corretoras americanas, vemos que comissões já não são a maior parte. Fonte: Bloomberg.

Fonte: Bloomberg.com

Este artigo da Bloomberg discute sobre como as corretoras fazem dinheiro sem corretagem. Vale a pena a leitura, porém, vou destacar alguns pontos:

  • Financiando os investidores que não possuem o dinheiro para investir no mercado;
  • Rendimento de dinheiro parado na conta dos investidores;
  • Aconselhamento financeiro
  • Alugando ações.

Curiosidades sobre o artigo

Sabia que todos os dados que eu usei para fazer este artigo foram de ferramentas gratuitas? Verifique quais eu uso nesse post: Quais as ferramentas gratuitas eu utilizo para ter dados sobre o mercado?

A história do fundador da XP

2 Comentários

  1. BTG zerar taxas acho difícil, até a XP zerar as delas.. Mas esse corte foi bem legal, a BTG comprou a Necton e já baixou as taxas, gostaria que elas cortassem o lance dos 0,5%. para o exercício, como Easy, Orama hoje em dia e como era antes dessa mudança a Rico. Peter voce utiliza qual corretora para a maior parte de suas operações?

Deixe uma resposta