O Iron Condor é uma estratégia com opções onde você pode lucrar com a consolidação de uma ação durante um período de tempo, isto é, você define um intervalo ótimo de acordo com a sua análise e, se no dia do vencimento daquela série de opções o papel adjacente (ação) estiver dentro daquele intervalo, você tem o lucro máximo. O melhor de tudo isso? Você não precisa ter a ação, embora garantias sejam exigidas.

Como funciona isso na prática?

Vamos supor que você tenha percebido uma consolidação em uma ação, por exemplo, Petrobras. Considerando que a ação é negociada a 21,71 reais, você poderia montar a seguinte estrutura:

Asa 1:

Vende call PETRG239 (strike 23,24) e embolsa R$ 0,35.
Compra call PETRG241 (strike 24,24) e paga R$ 0,18.

Asa 2:

Vende put PETRS201 (strike R$ 20,24) e embolsa R$ 0,40.
Compra put PETRS169 (strike R$ 19,24) e paga R$ 0,24.

Para montar a Asa 1 você recebeu R$ 0,17 (0,35-0,18). Para montar a Asa 2 você recebeu R$ 0,16 (0,40 – 0,24). No total, você embolsou R$ 0,33 (0,17 da Asa 1 mais 0,16 da Asa 2).

Qual é o seu risco?

Note que a diferença entre strikes é de R$ 1,00. Você vendeu put no strike 20,24 e comprou no strike 19,24. Tem R$ 1,00 de diferença entre os spreads. Da mesma forma que você vendeu call no strike 23,24 e comprou no strike 24,24 também com diferença de R$ 1,00 entre os spreads.

Vamos considerar que você montou o Iron Condor com 1000 opções, ou seja, para cada operação de compra/ venda, você fez com quantidade 1000. Portanto, você recebeu R$ 330,00 .

Para quem não está familiarizado com a venda de opções lembre-se que:

  • Quando você vende uma put você é obrigado a comprar a ação naquele strike.
  • Quando você compra uma put você tem o direito de vender a ação naquele strike.
  • Quando você vende uma call você é obrigado a vender a ação naquele strike.
  • Quando você compra uma call você têm o direito de comprar a ação naquele strike.

Portanto, considerando nossa operação, temos o seguinte cenário:

Asa 1

Venda de 1000 calls PETRG239 (strike 23,24) por R$ 0,35 – Total: + R$ 350,00
Compra de 1000 call PETRG241 (strike 24,24) por R$ 0,18 – Total: – R$ 180,00

Asa 2

Venda de 1000 puts PETRS201 (strike R$ 20,24) por R$ 0,40 – Total: R$ + 400,00
Compra de 1000 puts PETRS169 (strike R$ 19,24) por R$ 0,24 – Total: – R$ 240,00

Portanto, eu sou obrigado a vender 1000 ações de PETR4 por R$ 23,24, porém tenho o direito de comprar 1000 ações de PETR4 por R$ 24,24 caso o valor da ação esteja acima do strike.

Ao mesmo tempo, eu sou obrigado a comprar 1000 ações de PETR4 por R$ 20,24, porém tenho o direito de vender 1000 ações de PETR4 por R$ 19,24 caso o valor da ação esteja abaixo do strike.

Percebem que o meu prejuízo máximo em qualquer uma das asas é de R$ 1.000,00 (1000 x R$ 1 da diferença entre strikes)?

Como isso ficaria num gráfico de risco retorno? (Desculpe o desenho, mas não achei em nenhuma plataforma gratuita um gráfico que oferecesse o breakeven da operação inteira)

A sombra verde é o lucro. Note que o lucro máximo vai de R$ 20,24 até R$ 23,24. Como estamos falando das séries G e S, caso a Petrobrás esteja nesse range nos dia 20/07/2020 às 13 horas de Brasília, o Iron Condor não seria exercido e o valor de R$ 330,00 embolsado no momento da operação continuaria integralmente com você.

No lado da Asa 1, que abrange as calls, teríamos os seguintes cenários:

1. PETR4 fica acima de R$ 23,24, porém abaixo de R$ 24,24: neste caso, você seria obrigado a vender 1000 ações de PETR4 por R$ 23,24. Vamos supor que a ação esteja R$ 23,74. Você seria obrigado a vender a ação por R$ 23,24 e compraria a ação por R$ 23,74, tendo um prejuízo de R$ 0,50 por ação, ou seja, R$ 500,00. Terminaria o dia com a posição zerada (vendeu 1000 ações e comprou 1000 ações), porém com um prejuízo de R$ 500,00 em caixa. Como você já havia embolsado R$ 330,00 na montagem do Iron Condor, o prejuízo seria de R$ 170,00.

2. PETR4 termina exatamente em R$ 23,57. Essa é a sua região de breakeven, ou seja, você não tem lucro nem prejuízo. Você seria obrigado a vender a ação a R$ 23,24 e recomprá-la por 23,57, ou seja, teria um prejuízo de R$ 0,33 x 1000 opções, ou seja, R$ 330,00. Neste caso, como você recebeu R$ 330,00 na montagem não haveria lucro nem prejuízo.

3. PETR4 fica acima de R$ 24,24: neste caso, você seria obrigado a vender 1000 ações de PETR4 por R$ 23,24 e teria o direito de comprar 1000 ações de PETR4 por R$ 24,24. Portanto, neste momento não interessa qual a cotação das ações de PETR4, se valem R$ 25,00 ou R$ 100,00. A compra da PETRG241 travou o prejuízo máximo em R$ 1,00, no caso dessa operação R$ 1000,00. Como você já havia embolsado R$ 330,00 na montagem do Iron Condor, o prejuízo seria de R$ 670,00.

No lado da Asa 2, que abrange as puts, temos cenários semelhantes:

1. PETR4 fica abaixo de R$ 20,24, porém acima de R$ 19,24: neste caso, você seria obrigado a comprar 1000 ações de PETR4 por R$ 20,24. Vamos supor que a ação esteja R$ 20,14. Você seria obrigado a comprar PETR4 por R$ 20,24 e venderia a ação por R$ 20,14, tenho um prejuízo de R$ 0,10 por ação, ou seja, R$ 100,00. Terminaria o dia com posição zerada (comprou 1000 ações e vendeu 1000 ações), porém com um prejuízo de R$ 100,00 em caixa. Como você já havia embolsado R$ 330,00 na montagem do Iron Condor, teria um lucro de R$ 230,00.

2. PETR4 termina exatamente em R$ 19,91. Essa é a sua região de breakeven, ou seja, você não tem lucro nem prejuízo. Você seria obrigado a comprar a ação a R$ 20,24 e recomprá-la por R$ 19,91, ou seja, teria um prejuízo de R$ 0,33 x 1000 opções, ou seja, R$ 330,00. Neste caso, como você recebeu R$ 330,00 na montagem não haveria lucro nem prejuízo.

3. PETR4 fica abaixo de R$ 19,24: neste caso, você seria obrigado a comprar 1000 ações de PETR4 por R$ 20,24 e teria o direito de vender 1000 ações de PETR4 por R$ 19,24. Portanto, neste momento não interessa qual a cotação das ações de PETR4, se valem R$ 19,00 ou R$ 5,00. A compra da PETRS169 travou o prejuízo máximo em R$ 1,00, no caso dessa operação R$ 1000,00. Como você já havia embolsado R$ 330,00 na montagem do Iron Condor, o prejuízo seria de R$ 670,00.

Portanto, a fórmula para calcular o risco máximo do condor é:

Diferença entre strikes x Número de opções – Prêmio recebido

No nosso exemplo ficaria: R$ 1,00 x 1000 – R$ 330,00 = R$ 670,00.

Esse é o resumo do nosso Iron Condor:

Região de lucro máximo: R$ 20,24 a R$ 23,24

Região de lucro a ser auferido no vencimento da opção: R$ 19,92 a R$ 23,56

Valor recebido para montar a operação: R$ 330,00

Prejuízo máximo entre strikes: R$ 1.000,00

Prejuízo máximo possível: R$ 670,00

Você pode estar se perguntando qual a vantagem de montar uma estratégia na qual quando eu ganho eu ganho 1 e quando eu perco eu perco quase duas vezes. A pergunta é justa e eu lhe respondo: probabilidade.

Você está fazendo lançamentos fora do dinheiro, ou seja, a ação tem que chegar até o strike que você escolheu na data do vencimento e caso ela demore muito a chegar no strike ou próximo do strike você pode ter a vantagem de desmontar a operação antes pois a opção pode virar pó. Lembre-se que a opção se desgasta principalmente por dois motivos: passagem do tempo e diminuição da volatilidade. Se você monta a operação em um dia de pico na volatilidade, há grandes chances de ver seu Condor desvalorizar e com isso você lucrar.

Definitivamente, há análise técnica a ser feita. Provavelmente você vai querer que suas asas fiquem depois de um suporte relevante e uma resistência relevante. Dessa forma, além de ter que chegar no seu strike no dia do vencimento, você tem suportes e resistências à seu favor.

Provavelmente você também vai querer que no meio do caminho não tenha divulgação de resultados, ou escolher um ETF de forma a pulverizar o risco de assumir todos os eventos de uma única ação.

As gregas importam neste caso, é importante entender como as opções que você está vendendo reagirão às mudanças no mercado.

Isso é amplamente discutido no livro Profiting with Iron Condors (link para ser redirecionado para a Amazon) e merece um post à parte, pois são muitas as estratégias explicadas pelo autor.

O que posso dizer é que o Peter opera Iron Condor de uma forma meio manca, como uma alternativa para rentabilizar suas small caps. Enquanto no Iron Condor raíz (vamos dizer assim) as duas asas são montadas simultaneamente, no Iron Condor do Peter ele monta as asas em momentos diferentes, buscando sempre uma reversão do mercado. Isso também merece um post à parte.

Algumas considerações:

Ser exercido no Brasil é um pesadelo. A B3 e as corretoras cobram taxas extremamente abusivas. Cuidado, pois você pode ver seu risco aumentar em até 30% por causa das taxas cobradas por estes agentes.

Você precisará deixar garantia na corretora e essa geralmente será o valor máximo de prejuízo. Consulte sua corretora.

No exemplo dado não foram considerados custos operacionais pois esses vão variar de corretora para corretora.

Isso não é recomendação de investimento, apenas a apresentação de uma operação amplamente utilizada no mercado americano.

E você? Opera ou já operou Iron Condor? Qual sua opinião sobre esta estratégia?

13 Comentários

  1. Excelente, parabéns!. Gosto muito da estratégia. Vi no twitter que você começou com o curso 2P2C e depois chegou no Iron Condor, eu fiz caminho semelhante. Um Iron Condor suportado por análise técnica me parece uma excelente estratégia.O Doc Trader tem uma videos interessantes também, ele fala em vender com 45 dias e recomprar com 22, você acha que no Brasil isso se aplica, como você faz? Segura até virar pó? E se a operação for contra você, qual a estratégia? Entendo que a perda máxima do teu exemplo é no caso catastrófico, certo? Se você ver que a operação está dando errado pode interromper antes, rolar, colocar stop, o que você acha?

    1. Opa, tudo bem, Edelar? Então, a Iron Condor propriamente eu nunca fiz. O que eu comecei a fazer foi lançar uma put spread e depois uma call spread no mesmo papel, porém em momentos diferentes, ficando com asas bem mais largas. Comentando sobre a operação, uma pessoa no twitter me disse: ok, vc faz um IC. Fui pesquisar e era isso mesmo, com a diferença que eu geralmente lanço pro próximo exercício e cada asa em um momento distinto. Nos EUA eu até fiz algumas simulações e é possível fazer, si. No Brasil é complicado, porém dá, na PETR4.

      Caso a operação venha contra, eu já percebi que, quando a opção vendida fica ATM eu consigo rolar para o exercício seguinte recebendo por volta de 80% que paguei na montagem da asa. Se vier forte demais, às vezes fica difícil desmontar a posição. Como é mais próximo ao exercício, do que o proposto por livros que li sobre IC e pelo DOC, o Gamma te arrebenta. A perda máxima é o caso catastrófico, sim. Quanto ao stop, já cheguei a usar, às vezes faço ainda.

      Se quiser saber mais sobre o assunto, indico o livro Profiting with Iron Condors (não achei traduzido).

      Abraço.

  2. Peter, pode explicar quais as taxas cobradas quando você é exercido? Queria entender esse risco (~30%) e se esse risco existe para venda de call coberta também.

    Obrigado

    1. As taxas variam de corretora para corretora, você precisa verificar com a sua. Iron Condor e Venda Coberta são coisas diferentes, para mim não ficou claro a qual tipo de risco você se refere. Poderia explicar melhor.

  3. Peter, seria a mesma coisa que fazer uma trava de alta e uma trava de baixa ao mesmo tempo? Existe a diferença de Condor e Iron condor, quando você vai fazer uma trava de baixa, não tem como vender uma put com strike mais alto do que quando você compra a put, (Asa 2 do seu exemplo) nesse caso teria que fazer 1 operação de cada vez, correto?

  4. Peter, mas eu posso desmontar a estratégia antes do vencimento, correto? Principalmente se não puder comprar as ações, como no exemplo: se for exercido terei que comprar 1000 ações a 23 reais, ou seja, 23.000.

  5. Olá. Sou iniciante e tenho feito trava de alta com PUT. Cheguei nesse link através de uma busca por trava de baixa com call. Minha ideia era exatamente o q vc comenta aqui, após montar a Trava de alta com PUT, num outro momento montar a de baixa com Call. Fiquei feliz em ver q não estava viajando. Você já tem um histórico da efetividade dessa operação?
    Já li alguns outros posts seu e tô curtindo muito o conteúdo. Parabéns!

    1. Oi, Diogo. Que bom que está gostando!

      Então, eu desde que comecei a montar IC, venho tentando refinar a estratégia. O ideal seria montar numa basket, tipo BOVA11, onde você se livraria das movimentações mais bruscas do que operando uma empresa específica. Problema é que no Brasil nós esbarramos em liquidez, BOVA é complicado.

      Nos EUA é muito mais fácil de operar IC.

Deixe uma resposta